O que eu aprendi com a palavra PERDÃO!

35 Flares Facebook 33 Twitter 0 LinkedIn 1 Google+ 1 35 Flares ×

baby-203048_1280

Oi, eu sou Ricardo Basilio, sou coach e a minha missão de vida é ajudar as pessoas a encontrem soluções para as suas insatisfações.

Todos os meu conteúdos, vídeos, blogs, dicas nas redes sociais, programa – esse em breve será lançado – possuem essa missão.

Hoje, o tema é: O que aprendi com a palavra PERDÃO!

Este post é uma experiência singular do que aconteceu em minha vida. Me sinto muito confortável em contá-la, pois acredito que trará grandes aprendizados para a nossa vida.

Eu vou separar aqui apenas alguns elementos da minha história para ilustrar a você como o perdão me trouxe resultados poderosos e uma vida próspera.

Nos próximos post’s, vou contando gradativamente a minha história, meus desafios e os meus aprendizados.

Aos 16 anos, com a separação dos meus pais, estive em uma das situações mais desafiadoras da minha vida. Perdi a casa onde morava, morei de favor, e o primeiro trabalho foi de catador de papelão. Antes mesmo de saber a importância do autoconhecimento e da força que existe em uma mentalidade positiva, que hoje conheço bem – fruto de minha pesquisa e muitas leituras, eu sempre vi as situações desafiadoras como temporárias. E há algum tempo eu entendi qual é a grande diferença entre pessoas pessimistas e pessoas otimistas.

O tempo cura tudo!

As pessoas pessimistas acreditam que tudo o que acontece em sua vida levará muito tempo para se resolver. Já as pessoas otimistas acreditam que tudo, absolutamente tudo o que acontece é temporário, é um ciclo, e compreendem que extrairão desse cenário aprendizados para uma vida mais produtiva e feliz.

Imerso a um cenário cheio de elementos negativos e pessoas negativas, e de um processo de separação dos meus pais até mesmo traumático, adquiri certo rancor de meu pai, pois em minha visão, ele tinha nos abandonado, fazendo-nos perder tudo o que tínhamos.

Dez anos se passaram. Trabalhando muito a minha mente para uma visão positiva de futuro, o que eu acredito que fez e faz toda a diferença, eu já estava concluindo meu curso superior, mas ainda carregava um peso terrível, uma mágoa do meu pai frente aos desafios que enfrentei sem o seu apoio.

Percebi em um momento de solidão e silêncio, o quanto aqueles sentimentos me faziam mal, me limitavam, construíam crenças sobre a minha forma de ser e ter as coisas, e o quanto essas crenças impediam os meus avanços em todos os âmbitos da vida. Foi nesse momento que percebi que precisava reencontrar o meu pai, pois só assim, conversando com ele, eu poderia me livrar daquele peso e daqueles sentimentos ruins. Foi duro, mas eu decidi. E decidir é agir.

O caminho para o perdão!

Não sabia onde ele estava, mas pedia a Deus a criação e construção desse encontro. E ele me atendeu. Em um belo dia, meu pai conseguiu o meu telefone, me ligou e marcamos um encontro em sua casa. Lembro-me como hoje, fui até a casa dele, ele já havia construído uma outra família. Conversamos sobre a vida que levávamos, sobre a minha faculdade, sobre os desafios que enfrentei, e confesso para você, eu esperava que o meu pai pedisse desculpas por ter nos “abandonado”. Mas isso não aconteceu.

Ao sair da casa dele com a minha noiva, hoje minha amada esposa, entrei no carro e chorei muito, e todo aquele sentimento de rancor, de mágoa, de tristeza foi embora. E sabe por quê?

Porque naquele momento eu entendi o que era de fato AMAR. A gente só consegue amar quando a gente consegue perdoar. É muito fácil amar alguém quando tudo vai bem. Quando eu faço as coisas corretas, quando eu ajo da maneira como as pessoas desejam. Agora, quando o outro me descobre no meu erro, nas minhas limitações, nas minhas vergonhas, e mesmo assim continua me amando, eu acredito que esse sentimento chamado AMOR, atrelado ao PERDÃO, entram em cena e constroem uma linda história. 

Independente do que o meu pai fez, ele é o meu pai, e ao resolver perdoá-lo – porque cá para nós, isso é uma grande escolha, pessoal e intransferível – todos os sentimentos que eu levei na bagagem da minha história foram deixados na beira da estrada.

Minha mochila ficou mais leve, e naquele momento me senti plenamente realizado, tendo absoluta certeza que eu fiz a coisa certa.

Em minha visão, só conseguimos amar quando de fato conseguimos perdoar. Depois desse aprendizado de profunda reflexão, vejo os benefícios que essa situação gerou em minha vida, o homem que sou hoje e os valores que me movem com muita paixão e propósito no que escrevo e faço.

Esta foi a experiência que gostaria de compartilhar com você hoje e aproveito a oportunidade para promover uma reflexão em sua vida. Vamos lá?!

Gostaria neste momento que você olhasse para si e para os seus relacionamentos e analisasse quais deles são duradouros. Creio que os seus relacionamentos duradouros já enfrentaram diversos desafios, muitos aborrecimentos, alguns conflitos e choros, mas se eles duraram até agora, é porque neles está a maior essência que supera tudo. E essa essência se chama AMOR.

O amor supera tudo!

Ao buscar o autoconhecimento, que hoje é a minha ferramenta de trabalho como coach, palestrante, educador e empreendedor digital, compreendi nessa história que acabo de contar a você que, independente do papel que em algum momento atuamos na vida, seja de ser o perdoado ou aquele que perdoa, perdoar é amar e quando compreendemos isso, a razão, a raiva e o rancor são tirados da nossa mochila, e ela fica muito mas leve.

Após essa atitude que adotei em minha vida, os bons resultados começaram a aparecer, como o fortalecimento familiar – um dos maiores patrimônios da vida; o imprescindível respeito e carinho às pessoas com quem interajo; as oportunidades de amizade e de novos projetos para a carreira; uma vida próspera a cada dia, e aqui, quando me refiro à prosperidade, quero colocar a importância de todos os âmbitos da vida – emocional, espiritual, pessoal, financeiro e nas relações interpessoais.

Tudo isso só foi possível, porque compreendi uma das grandes essências da vida: quanto mais você se doa, mais você recebe.

E se é amor que tem aí dentro de você, é isso que você vai receber. E já aviso: pode ser que muitas vezes você não receba da pessoa pela qual você se doou, mas tenha calma, o universo, que eu chamo de Deus, se encarregará de entregar ao seu tempo o que você precisa.

Hoje, vivo uma vida feliz, próspera em todos os âmbitos e me sinto neste momento pleno em poder compartilhar o que eu aprendi, e de alguma forma contribuir, mesmo que essa contribuição seja pequena.

Agora, se este artigo proporcionou reflexões em sua vida, a escolha é sua. Perdoar ou não só depende de você. Eu posso afirmar, a minha experiência promoveu uma sensação de alívio com efeitos até hoje, e isso para mim, é algo nobre.

Se você curtiu este post, deixe o seu comentário, conte as suas experiências e compartilhe a sua melhor versão com o mundo.

Ah, como eu quero de fato contribuir com a sua vida, preparei uma lista com #20 livros que transformaram a minha vida, com a minha breve análise sobre cada um deles.
Se você tiver interesse em ser direcionado para a lista, clique aqui!

Eu sou Ricardo Basilio e acredito que juntos podemos ir longe! Até a próxima!

35 Flares Facebook 33 Twitter 0 LinkedIn 1 Google+ 1 35 Flares ×

Posted on 2 de novembro de 2015 in Blog

Share the Story

About the Author

Eu sou Ricardo Basilio e tenho uma missão: ser um grande aprendiz da vida e um excelente ouvinte, e por meio da comunicação, da empatia, e da motivação, ajudar milhares de pessoas a sentirem realizadas em suas vidas. Hobbies: Meditar, ler, jogar voley e conhecer novas culturas.
Back to Top
35 Flares Facebook 33 Twitter 0 LinkedIn 1 Google+ 1 35 Flares ×